Um sistema IBM Quantum Eagle de 127 qubits foi instalado na Universidade de Tóquio(foto: Graham Carlow/IBM) PARA um computador van IBM entrou em operação prática no Japão. Esse é o sistema Quantum Eagle de 127 qubits mais poderoso desenvolvido pela gigante da tecnologia americana. Quantum Eagle está instalado na Universidade de Tóquio. A IBM espera

Um sistema IBM Quantum Eagle de 127 qubits foi instalado na Universidade de Tóquio
(foto: Graham Carlow/IBM)

PARAum computador van IBM entrou em operação prática no Japão. Esse é o sistema Quantum Eagle de 127 qubits mais poderoso desenvolvido pela gigante da tecnologia americana.

Quantum Eagle está instalado na Universidade de Tóquio. A IBM espera obter ideias sobre o uso prático desta nova classe de dispositivos de computação de seus parceiros japoneses. O sistema promete um poder de processamento de dados sem precedentes, mas ainda ninguém sabe como se comportará na prática, em condições do mundo real.

A IBM já doou sistemas quânticos para cientistas japoneses. Em 2021, um IBM Q System One de 27 qubits foi implementado no campus de Kawasaki da Universidade de Tóquio. O novo computador carrega um processador IBM Eagle de 127 qubits e promete acelerar significativamente os cálculos.

A abordagem clássica sugere que serão necessários sistemas com dezenas e centenas de milhares de qubits físicos para iniciar o uso prático de computadores quânticos. Segundo especialistas do Google, por exemplo, para corrigir erros em um qubit lógico, são necessários 1.000 qubits físicos. Assim, um computador quântico sem erros com 1.000 qubits exigiria 1 milhão de qubits físicos para corrigir erros. Isso significa que o Google espera ver valor prático em sistemas com milhares e dezenas de milhares de qubits.

A IBM acredita que este não é o caso. Num artigo publicado no início deste ano, os investigadores da IBM argumentaram que o valor prático dos sistemas quânticos começa com 100 qubits. A plataforma IBM Eagle de 127 qubits foi anunciada como a primeira implementação prática, que os parceiros japoneses da empresa já fizeram. Isto é particularmente importante porque os supercomputadores convencionais de hoje são incapazes de emular mais de 50 qubits ao executar algoritmos quânticos.

A plataforma IBM Quantum Eagle implantada no Japão será usada pelo consórcio local Quantum Innovation Initiative (QII), que inclui cerca de duas dúzias de empresas e instituições educacionais. O sistema quântico será treinado para buscar novos materiais e medicamentos, para processar dados nas áreas de finanças, física, química e sociologia.

Para a IBM, isto promete retornos impressionantes numa área em que ninguém ainda entrou seriamente. Os custos são enormes, mas os pioneiros na implementação prática da computação quântica ficarão com tudo.

Atualizado em by Allegra Stratton
Registro Rápido

Olymp Trade oferece Forex e negociação por tempo fixo. Conta Demo com $10.000 em fundos virtuais.

100%
Pontuação de Confiança

Ganhe $10.000 Virtuais Ilimitados! Depósito Inicial Não é Necessário.

icon Saiba Mais! icon Saiba Mais!
Pontuação de Confiança
icon Saiba Mais! icon Saiba Mais!
Pontuação de Confiança
icon Saiba Mais! icon Saiba Mais!
Risco de Perda de Capital
Pontuação de Confiança
Um sistema IBM Quantum Eagle de 127 qubits foi instalado na Universidade de Tóquio(foto: Graham Carlow/IBM) PARA um computador van IBM entrou em operação prática no Japão. Esse é o sistema Quantum Eagle de 127 qubits mais poderoso desenvolvido pela gigante da tecnologia americana. Quantum Eagle está instalado na Universidade de Tóquio. A IBM espera
banner image