A lei da procura é um dos conceitos mais fundamentais na economia. Juntamente com a lei da oferta, ela explica como as economias de mercado alocam recursos e determinam os preços dos bens e serviços que observamos nas transações do dia a dia.

A lei da procura é um dos conceitos mais fundamentais na economia. Juntamente com a lei da oferta, ela explica como as economias de mercado alocam recursos e determinam os preços dos bens e serviços que observamos nas transações do dia a dia.

O que é a Lei da Procura?

A lei da procura afirma que a quantidade comprada varia inversamente com o preço. Em outras palavras, quanto mais alto o preço, menor a quantidade demandada. Isso ocorre devido à utilidade marginal decrescente. Isso significa que os consumidores usam as primeiras unidades de um bem econômico que compram para atender às suas necessidades mais urgentes, e, em seguida, usam cada unidade adicional do bem para atender a necessidades de valor sucessivamente mais baixo.

Principais Conceitos

  • A lei da procura é um princípio fundamental da economia que afirma que, a um preço mais alto, os consumidores demandarão uma menor quantidade de um bem.
  • A demanda é derivada da lei da utilidade marginal decrescente, que reflete o fato de que os consumidores usam bens econômicos para satisfazer suas necessidades mais urgentes primeiro.
  • A curva de demanda de mercado expressa a soma da quantidade demandada a cada preço por todos os consumidores no mercado.
  • Mudanças no preço podem ser refletidas em movimentos ao longo da curva de demanda, mas por si só não aumentam nem diminuem a demanda.
  • A forma e a magnitude das mudanças na demanda ocorrem em resposta a alterações nas preferências do consumidor, na renda ou nos bens econômicos relacionados, geralmente não devido a mudanças no preço.

Entendendo a Lei da Procura

A economia envolve o estudo de como as pessoas usam meios limitados para satisfazer desejos ilimitados. A lei da procura concentra-se nesses desejos ilimitados. Naturalmente, as pessoas priorizam desejos e necessidades mais urgentes em seu comportamento econômico, o que se reflete em como escolhem entre os meios limitados disponíveis.

Para qualquer bem econômico, a primeira unidade desse bem que um consumidor obtém tende a ser usada para satisfazer a necessidade mais urgente que o consumidor tem e que esse bem pode satisfazer.

Por exemplo, considere um náufrago em uma ilha deserta que encontra uma embalagem de seis garrafas de água fresca que aparece na costa. A primeira garrafa será usada para satisfazer a necessidade mais urgente do náufrago, que provavelmente é beber água para evitar a sede.

A segunda garrafa pode ser usada para tomar banho e evitar doenças, uma necessidade urgente, mas menos imediata. A terceira garrafa pode ser usada para uma necessidade menos urgente, como cozinhar peixe para uma refeição quente, e assim por diante, até a última garrafa, que o náufrago usa para regar uma pequena planta em um vaso para se sentir menos solitário na ilha.

Porque cada garrafa adicional de água é usada para satisfazer uma necessidade ou desejo de valor progressivamente menor para o náufrago, podemos dizer que o náufrago valoriza cada garrafa adicional menos do que a anterior.

Quanto mais unidades de um bem os consumidores compram, menos estão dispostos a pagar em termos de preço.

Da mesma forma, quando os consumidores compram bens no mercado, cada unidade adicional de qualquer bem ou serviço que compram é usada para um fim de valor inferior ao anterior, portanto, podemos dizer que eles valorizam cada unidade adicional menos e menos. Por valorizarem menos cada unidade adicional do bem, eles não estão dispostos a pagar tanto por ela.

Somando todas as unidades de um bem que os consumidores estão dispostos a comprar a um determinado preço, podemos descrever uma curva de demanda de mercado, que é sempre inclinada para baixo, como a mostrada no gráfico abaixo. Cada ponto na curva (A, B, C) reflete a quantidade demandada (Q) a um determinado preço (P). Em um ponto como A, a quantidade demandada é baixa (Q1) e o preço é alto (P1). A preços mais altos, os consumidores demandam menos do bem, e a preços mais baixos, eles demandam mais.

A lei da procura é um dos conceitos mais fundamentais na economia. Juntamente com a lei da oferta, ela explica como as economias de mercado alocam recursos e determinam os preços dos bens e serviços que observamos nas transações do dia a dia.

Demanda vs. Quantidade Demandada

Na teoria econômica, é importante entender a diferença entre o fenômeno da demanda e a quantidade demandada. No gráfico acima, o termo “demanda” se refere à linha azul clara traçada através de A, B e C.

Isso expressa a relação entre a urgência dos desejos do consumidor e o número de unidades do bem econômico em questão. Uma mudança na demanda significa uma mudança na posição ou forma dessa curva; reflete uma mudança no padrão subjacente de desejos e necessidades dos consumidores em relação aos meios disponíveis para satisfazê-los.

Por outro lado, o termo “quantidade demandada” refere-se a um ponto ao longo do eixo horizontal. Mudanças na quantidade demandada refletem estritamente mudanças no preço, sem implicar qualquer alteração no padrão de preferências do consumidor.

Mudanças na quantidade demandada significam apenas um movimento ao longo da curva de demanda devido a uma mudança no preço. Essas duas ideias são frequentemente confundidas, mas esse é um erro comum: os preços crescentes (ou decrescentes) não diminuem (ou aumentam) a demanda; eles alteram a quantidade demandada.

Fatores que Afetam a Demanda

Então, o que afeta a demanda? A forma e a posição da curva de demanda podem ser afetadas por vários fatores. O aumento da renda tende a aumentar a demanda por bens econômicos normais, pois as pessoas estão dispostas a gastar mais. A disponibilidade de produtos substitutos que competem com um bem econômico dado tende a reduzir a demanda por esse bem, porque eles podem satisfazer os mesmos tipos de desejos e necessidades do consumidor.

Por outro lado, a disponibilidade de bens complementares próximos tende a aumentar a demanda por um bem econômico, pois o uso de dois bens juntos pode ser ainda mais valioso para os consumidores do que usá-los separadamente, como manteiga de amendoim e geléia.

Outros fatores, como expectativas futuras, mudanças nas condições ambientais de fundo ou mudanças na qualidade real ou percebida de um bem, podem alterar a curva de demanda, porque alteram o padrão de preferências do consumidor sobre como o bem pode ser usado e com que urgência ele é necessário.

Lei da Oferta

A oferta é a quantidade total de um bem ou serviço específico disponível para os consumidores a um determinado preço. À medida que a oferta de um produto flutua, a demanda também flutua, o que afeta diretamente o preço do produto.

A lei da oferta é uma lei microeconômica que afirma que, mantidos todos os outros fatores iguais, à medida que o preço de um bem ou serviço aumenta, a quantidade que os fornecedores oferecem também aumentará (e vice-versa). Quando a demanda supera a oferta disponível, o preço de um produto geralmente aumenta. Por outro lado, se a oferta de um item aumentar enquanto a demanda permanecer a mesma, o preço diminuirá.

Explicação Simples da Lei da Procura

A lei da procura nos diz que se mais pessoas desejam comprar algo, dada uma oferta limitada, o preço desse item será aumentado. Da mesma forma, quanto mais alto o preço de um bem, menor a quantidade que será comprada pelos consumidores.

Por que a Lei da Procura é Importante?

Juntamente com a lei da oferta, a lei da procura nos ajuda a entender por que as coisas são precificadas da maneira que são e a identificar oportunidades para comprar produtos, ativos ou títulos que são percebidos como subvalorizados (ou vender produtos sobrevalorizados). Por exemplo, uma empresa pode aumentar a produção em resposta a preços crescentes que foram impulsionados por um aumento na demanda.

A Lei da Procura Pode ser Quebrada?

Sim. Em certos casos, um aumento na demanda não afeta os preços da maneira prevista pela lei da procura. Por exemplo, os chamados bens de Veblen são aqueles para os quais a demanda aumenta à medida que o preço sobe, pois são percebidos como símbolos de status. Da mesma forma, a demanda por bens Giffen (que, ao contrário dos bens de Veblen, não são itens de luxo) aumenta quando o preço sobe e diminui quando o preço cai. Exemplos de bens Giffen podem incluir pão, arroz e trigo. Esses tendem a ser necessidades comuns e itens essenciais com poucos substitutos disponíveis a preços semelhantes.

Conclusão

A lei da procura postula que o preço de um item e a quantidade demandada têm uma relação inversa. Essencialmente, ela nos diz que as pessoas comprarão mais de algo quando seu preço cair e vice-versa. Quando graficada, a lei da procura aparece como uma linha inclinada para baixo.

Essa lei é um princípio fundamental da economia. Ela ajuda a definir os preços, entender por que as coisas têm o preço que têm e identificar itens que podem estar com preços acima ou abaixo do valor real.

Atualizado em by Liticoin.com
Registro Rápido

A Exnova oferece uma plataforma única para seus traders. A estrutura é clara e transparente.

89%
Pontuação de Confiança

Ganhe $10.000 Virtuais Ilimitados! Depósito Inicial Não é Necessário.

icon Saiba Mais! icon Saiba Mais!
Pontuação de Confiança
icon Saiba Mais! icon Saiba Mais!
Pontuação de Confiança
icon Saiba Mais! icon Saiba Mais!
Risco de Perda de Capital
Pontuação de Confiança
A lei da procura é um dos conceitos mais fundamentais na economia. Juntamente com a lei da oferta, ela explica como as economias de mercado alocam recursos e determinam os preços dos bens e serviços que observamos nas transações do dia a dia.
banner image