Só em 2019, o mundo descartou US$ 9,5 bilhões em materiais valiosos (Foto: CC0 Public Domain) O lixo eletrônico “invisível” – desde vapes descartáveis ​​até brinquedos e cabos velhos emaranhados – acumula e desperdiça materiais valiosos. Uma nova análise procurou uma maneira de medir todos aqueles pequenos eletrônicos que as pessoas muitas vezes não reconhecem

Só em 2019, o mundo descartou US$ 9,5 bilhões em materiais valiosos (Foto: CC0 Public Domain)

O lixo eletrônico “invisível” – desde vapes descartáveis ​​até brinquedos e cabos velhos emaranhados – acumula e desperdiça materiais valiosos. Uma nova análise procurou uma maneira de medir todos aqueles pequenos eletrônicos que as pessoas muitas vezes não reconhecem como lixo eletrônico, e os números são surpreendentes. Para começar, o peso de todos os vapes descartados em todo o mundo a cada ano equivale a três pontes do Brooklyn.

Vapes e outros pequenos eletrônicos que não consideramos lixo eletrônico pesam um total de 9 bilhões de quilos por ano. Isso inclui tudo, desde escovas de dente elétricas, suéteres de férias com LEDs integrados, drones e outros pequenos eletrônicos. Se colocarmos tudo isto em camiões e os alinharmos uns atrás dos outros, teremos uma corrente de Nairobi a Roma.

Materiais perigosos

O problema de jogar fora esses itens é que os eletrônicos geralmente contêm materiais perigosos, como chumbo ou mercúrio, que não deveriam ir para aterros sanitários. A fuga de substâncias semelhantes para o ambiente pode resultar na poluição irreversível do solo e da água.

Manter os aparelhos em casa também não é uma boa ideia. Se os aparelhos fossem reciclados, os fabricantes poderiam recuperar uma boa quantidade de ouro e outros materiais valiosos. Isto reduz o lixo eletrónico e potencialmente até a necessidade de extrair o máximo de matéria-prima possível.

O fato é que as pessoas já sabem onde descartar aparelhos elétricos e computadores antigos, mas pequenos aparelhos novos não são considerados lixo eletrônico. Vaporizadores descartáveis ​​estão por toda parte, pequenas bugigangas de LED acendem por toda parte, mas ninguém pensa em levar o excesso do aparelho para um recipiente especialmente colocado ou ligar para uma empresa para coletar lixo eletrônico. Novas versões da maioria dos dispositivos vêm com novos plugues que exigem novos carregadores, complicando ainda mais o quadro.

“Os consumidores muitas vezes não percebem que alguns itens contêm eletrônicos e, portanto, esses itens não acabam no local certo para serem descartados”, explicou Magdalena Charitanovic, gerente de comunicações da organização não governamental Waste Electrical and Electronic Equipment Forum (WEEE ).

O que estamos perdendo?

Uma questão interessante é o que perdemos quando não reciclamos esses eletrônicos “invisíveis”? Aproximadamente 9,5 mil milhões de dólares em materiais – principalmente ferro, cobre e ouro. Esse é o valor apenas para 2019, na verdade. Cada ano subsequente é mais.

Os cabos de cobre jogados fora no ano passado poderiam dar 107 voltas ao redor do mundo, afirma também a WEEE. E a procura de cobre, que é importante para as energias renováveis, os veículos eléctricos e a electrónica, deverá aumentar nesta década.

Em particular, os vapes (como outros dispositivos recarregáveis) que acabam no lixo contêm muito lítio, um mineral essencial para a fabricação de baterias das quais o mundo precisará muito. Será extremamente necessário nas indústrias de energia renovável e transporte elétrico.

“Milhões de cigarros eletrônicos são jogados no lixo todas as semanas… este é um problema de grande preocupação”, disse o Diretor Geral do Fórum WEEE, Pascal Leroy.

A eletrônica invisível

O Fórum WEEE encomendou recentemente ao Instituto das Nações Unidas para a Formação e Investigação (UNITAR) a realização de uma nova análise da electrónica invisível. As estimativas baseiam-se na monitorização global do lixo eletrónico do UNITAR, um relatório internacional produzido pela última vez em 2020 que rastreia todos os tipos de lixo eletrónico.

Segundo ele, cerca de 55 por cento do lixo eletrónico é recolhido para reciclagem na Europa. Isto foi conseguido em grande parte devido a leis que exigem que os fabricantes gerenciem os resíduos gerados pelos seus produtos. Muitas outras partes do mundo não possuem leis semelhantes de responsabilidade do produtor (EPR).

A infra-estrutura de reciclagem necessária para desmontar de forma responsável os produtos descartados e extrair materiais valiosos também é fraca. A taxa global de coleta de lixo eletrônico é de apenas 17%.

Atualizado em by Larisa Mote
icon Saiba Mais! icon Saiba Mais!
Risco de Perda de Capital
Registro Rápido

Corretora regulamentada. Conta Demo com $10.000 em fundos virtuais Grátis!

92%
Pontuação de Confiança

Ganhe $10.000 Virtuais Ilimitados! Depósito Inicial Não é Necessário.

icon Saiba Mais! icon Saiba Mais!
Pontuação de Confiança
icon Saiba Mais! icon Saiba Mais!
Pontuação de Confiança
icon Saiba Mais! icon Saiba Mais!
Risco de Perda de Capital
Pontuação de Confiança
Só em 2019, o mundo descartou US$ 9,5 bilhões em materiais valiosos (Foto: CC0 Public Domain) O lixo eletrônico “invisível” – desde vapes descartáveis ​​até brinquedos e cabos velhos emaranhados – acumula e desperdiça materiais valiosos. Uma nova análise procurou uma maneira de medir todos aqueles pequenos eletrônicos que as pessoas muitas vezes não reconhecem
banner image